/ Notícias

18 de março de 2020

Novo Coronavírus: Orientações para a categoria

Prezadas Psicólogas e Psicólogos,

Considerando as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), do Ministério da Saúde, das Secretarias de Saúde, do Conselho Federal de Psicologia e das autoridades civis acerca das precauções para evitar/minimizar a disseminação do novo Coronavírus, o Conselho Regional de Psicologia 13ª Região, a fim de orientar as profissionais de psicologia da Paraíba sobre como proceder durante os atendimentos psicológicos e garantir a preservação da segurança de todas(os), recomenda:

  • que sejam seguidas as recomendações do Ministério da Saúde, como: lavar bem as mãos, dedos, unhas, punho, palma e dorso, com água corrente e sabão, preferencialmente utilizando toalhas de papel para secá-las; higienizar as mãos com álcool em gel, assim como utilizá-lo para limpar objetos de contato manual, como telefones, teclados, cadeiras, maçanetas; utilizar lenços descartáveis para higiene nasal, evitar aglomeração de pessoas e espaços fechados, dentre outros.
  • frente a necessidade/opção pela manutenção de atendimentos presenciais, que a intervenção ocorra em locais ventilados, não fechados, mantendo distância de dois metros entre pessoas, sempre que possível.
  • para garantia de manutenção dos atendimentos psicológicos, se necessário, as(os) profissionais poderão se utilizar da prestação de serviços psicológicos realizados por meios de tecnologia da informação e da comunicação, como o atendimento on-line; os que não tem o cadastro para esta modalidade de atendimento devem fazê-lo pelo site “Cadastro e-Psi” (link: https://e-psi.cfp.org.br/) e podem, temporariamente (março e abril) realizar seus atendimentos sem a confirmação da plataforma para o início do trabalho remoto.

Para tanto, é importante seguir as determinações da Resolução CFP nº 11/2018 e as orientações do comunicado Conselho Federal de Psicologia em 16/03/2020 (https://site.cfp.org.br/coronavirus-comunicado-sobre-atendimento-on-line/ ) diante da prevenção do contágio do Coronavírus.

Essa medida visa possibilitar condições de prevenção à saúde das profissionais e dos usuários, bem como garantir o apoio emocional necessário às pessoas em agravamento de problemas de saúde mental e a população geral em virtude da condição de isolamento.

Orientamos a todas(os) que avaliem suas condições de saúde e possível vulnerabilidade frente a pandemia de COVID-19, (maiores de 60 anos e grupos de riscos – com diagnósticos de diabetes, cardiopatias ou outras doenças que reduzam a imunidade), podendo ser solicitado afastamento das atividades laborais que garantam o isolamento residencial. O afastamento das atividades e isolamento social também é necessário entre profissionais que apresentem sintomas de gripe compatíveis com o coronavírus.

Aos profissionais que se mantiverem em atividade profissional orientamos que sejam respeitadas as orientações já anunciadas em relação a higienização pessoal, ambiental e distância física de e entre os usuários dos serviços, conforme determinado pelo Ministério da Saúde.

Às Psicólogas e psicólogos atuantes em serviços do SUS, na atenção básica em saúde, na assistência social e em serviços de educação e segurança pública, recomendamos a suspensão temporária das atividades em grupo, manutenção das intervenções/atendimentos individuais, desde que respeitadas as condições de segurança recomendadas e evitação do contato físico.

Se identificados os sintomas compatíveis com o Coronavírus, ou condição suspeita para o risco de contaminação por COVID-19, orientar o usuário sobre a necessidade de isolamento residencial e fazer uso do Plantão para notificação de casos suspeitos de Coronavírus, disponibilizados pelo Governo do Estado da Paraíba (0800 281 0023; 98828 – 2522; 99925 -9326).

Quando da comunicação de diagnóstico do coronavírus, sugere-se que as orientações em saúde seja extensivas à família, assim como a atenção psicológica emergencial quando necessária e possível, visando promover saúde, prevenir e/ou reduzir danos psicológicos e minimizar o impacto emocional da condição de privação social, adoecimento, tratamento e hospitalização.

Destacamos, ainda, a necessidade de que os profissionais atuantes em hospitais tenham garantidos e respeitados o uso de todos Equipamentos de Proteção Individual contra os riscos capazes de ameaçar sua segurança e saúde.

Em solidariedade aos profissionais atuantes em serviços essenciais, como hospitais, serviços de saúde (UBS, CAPS, dentre outros) e segurança considerando as tensões, demandas e exigências oriundas da atual circunstância, recomendamos aos gestores em saúde que propiciem oportunidades de estabelecimento de pausas, rodízios e suporte emocional entre a equipe a fim de reduzir as condições de desamparo e sofrimento emocional que impactam na saúde do trabalhador, assim como, uma menor exposição ao agente transmissor do COVID-19. Recomendamos ainda que ofereçam condições adequadas de trabalho, o que inclui a disponibilização de álcool em gel e máscaras para as (os) psicólogas (os).

Seguiremos atentas (os) e acompanhando o desenrolar dos fatos e, sendo necessário, faremos novos posicionamentos junto à categoria.

Com cordiais cumprimentos,

Conselho Regional de Psicologia – Gestão Compromisso com a Psicologia